Posted quinta-feira, 11 de agosto de 2011 by Marianne Aroca


Quando a vida lhe oferece um sonho muito além de todas as suas expectativas, é irracional se lamentar quando isso chega ao fim. Uma coisa eu realmente sabia – sabia com a pontada do meu estômago, no centro dos meus ossos, sabia isso do topo da minha cabeça até as solas dos pés, sabia isso no meu peito vazio – o amor por uma pessoa pode ter o poder de te destruir. Eu estava destruída e sem reparo. Eu não tenho noção dos dias que se passam – não ha motivo, já que eu tento viver no presente o máximo de tempo possível, sem que o passado desapareça, sem que o futuro impeça. 
Parece insuportável de se agüentar, você sentir seu coração se quebrar por dentro, sentir ele se esmagar. E sabe o que é mais estranho? Eu sempre pensei que o coração fosse apenas um músculo que bombeava o sangue, e que amávamos pelo cérebro, através de estímulos que ele provocava, por exemplo, fazer a pupila de nossos olhos dilatarem quando víssemos quem amávamos, ou fazer nossa mão suar, ou fazer o coração bombear o sangue mais rápido. Mas minhas maior surpresa é ver que dói, realmente dói!



0 comentários:

Postar um comentário